stonewal

 


Por onde passo
Encontro pedras no caminho
Às vezes laços
Às vezes espinhos
Às vezes medo
Às vezes ninho
Às vezes tenho
Brisa fresca no meu rosto
Num dia gosto
No outro desgosto
Num dia eu tenho flores no quintal
No outro
Tempestade, temporal
Num dia estou numa planície
Onde o verde é minha cor
O amor é meu fetiche
E você é meu amor
No outro desperdício
Precipício
Um feitiço
Trazendo dor
Num dia é um sonho
Numa estrada
Com flores festejando a alegria
Um rio jorrando fantasia
No outro
É um ladrão na madrugada
Roubando tudo que eu sabia
É o medo à luz do dia
A incomodar
Num dia é um mar manso e sereno
Um barco a remo
Com nuvens brancas
Colorindo o céu
No outro
Maremoto, terremoto
Um furacão
Varrendo meu coração
Um naufrágio inevitável
Da razão
Um dia é uma estrada
À sombra de um arvoredo
Uma lua cor de prata
Desvendando os segredos
No outro é um soldado sem espada
Morrendo de medo
Num dia é o começo de uma viagem
Numa estrada iluminada
Abelhas fazendo mel
Meu céu
No outro não vejo nada
É faca amolada
Montanhas desmoronando
Sugando
Os sonhos que sonhei.