4af3bca183b09406454dee7c4f37518b

 

 

Num dia, em que tudo estava errado
E eu embriagado
Sonhando acordado
Fui dormir mais cedo
Morrendo de medo
Que o dia não amanhecesse
E meu coração adormecesse
Com sorriso de louco
Piorando aos poucos
Consegui dormir
Pronto para sucumbir
E eu fiquei trancado
Um louco, desmaiado
Esperando a morte me carregar
Assim, morrendo devagar
Então
Alguém bateu na porta
E a minha vida torta
Voltou pra me dizer
Que meu sonho era você
Então
Com um só pulo
Eu pulei o muro
Porque agora eu vi uma chance
Quase irrelevante
Da vida renascer
Do sonho ser você
Sonhando acordado
Um louco alucinado
Agora sou criança
Na nave esperança
Voei pra te ver
Com cede de viver outra vez
O sonho se refez
E eu sonhando acordado
Sorrindo como um retardado
Fiquei bem ali, olhando pra você
Como quem vê a luz do sol no amanhecer
E eu abracei seu corpo
Num paraíso iluminado
E fiquei ali parado
Agarrado à minha chance de vida
E eu vi fogo nos seus olhos
E vi acender as chamas da paixão
E eu vi meu coração
Já quase parado
Disparar acelerado
E o seu corpo sedutor
Emanando um calor danado
Reativou assim
A minha pulsação
E rolamos pelo chão
Da sua estrada
E eu que não tinha nada
Agora tinha seu corpo em minhas mãos
E a sua boca pede a minha boca
Ai então
Sinto seu rio lavar a minha alma
Que sem nenhuma calma
Abre a janela do meu peito
É porta sem tramela
Sinto seu cheiro
Embriagando o meu juízo
E o seu paraíso
É o quintal da minha casa
E você me amassa
E engata no meu corpo
E eu sinto o gosto
Do seu sexo
Em minha boca
E sua boca no meu sexo
Me faz viver
E eu também grito de prazer
É nosso sio insaciável da paixão
E nossos corpos deslizando
Em nossas mãos
E o néctar precioso dos seus lábios
Incita ainda mais o meu tesão
E eu cavalgado ainda mais veloz
E ouço a sua voz
Dizendo amor, amor, amor
Delírios e sussurros
É o amor brotando em nosso suor
E eu ouvindo baixinho a sua voz
Dizendo pra eu não parar o trem
E eu sigo viagem
No seu vai e vem
Nossos lábios se procuram
E se curam
Da ausência daquilo que se sonhou
Nossos braços se abraçam
Manipulam a massa da paixão
E com mel da sua boca
E com o cheiro do seu corpo
Misturado a seu suor
Nossos corpos, como um só
É pão que caiu do céu
É felicidade escorrendo do seu olhar
É o arco-íris nascendo na janela
É uma aquarela
E eu agarrado ao meu travesseiro
Lhe dou o beijo derradeiro
Pois alguém bateu na porta
E a minha vida torta
Inunda o meu colchão
E eu fiquei ali
Tentando com as mãos
Agarrar esse sonho meu.